Quarta-feira, 19 de Dezembro     
Pesquisa Avançada
Actividades     Freguesias
Início > Juntas de Freguesia > Juntas de Freguesia >      Junta de Freguesia de Barbudo
Dados da Empresa
Apresentação da Empresa
Designação Social
Junta de Freguesia de Barbudo
NIF
506980618
Morada
Rua Professor Machado Vilela, nº36
Cód. Postal
4730-062 Barbudo
Telefone
253322487
Fax
253322487
Contacto
Álvaro Oliveira
A freguesia de Barbudo é uma das 58 freguesias que compõem o concelho de Vila Verde, tendo parte da sua área territorial inserida na zona urbana da sede concelhia. Ocupa uma área de 4,82 km2.
Trata-se de uma freguesia com uma localização geográfica privilegiada devido ao facto de estar situada junto à sede concelhia e situar-se entre a E.N. 101, E.N. 201 e E.N. 308 e a escassos minutos da autoestrada A3. Estas condições têm contribuído para atrair investimento e dinâmica social, traduzida em serviços, comércio e construção civil.
Potenciada por estes factores, a população tem aumentado consideravelmente, atingindo em 2011, (Censos, INE, provisórios) 2400 habitantes, ocupando 497,9 hab/km2. Em oposição ao trecho fronteiriço com a freguesia de Vila Verde, mais urbanizado, deparam-se os seus moradores e visitantes com locais de grande beleza onde o património natural, paisagístico e o histórico proporcionam momentos de grande sossego e contemplação, com destaque especial para o Monte Castelo, onde se situa o Castro de Barbudo que do seu ponto mais elevado proporciona uma extraordinária vista panorâmica em todo o seu redor.
 
A freguesia de Barbudo, possuindo condições naturais privilegiadas, esteve marcada por uma intensa ocupação humana, desde os séculos IX e VIII A.C. no final da Idade do Bronze, tendo passado por outras fases de ocupação; a Idade do Ferro, o Período romano, prolongando-se até à Idade Média. Ao longo dos tempos esta freguesia foi berço de ilustres personalidades e de abastada fortuna mesmo antes da nacionalidade.
D. Paio Guterres da Silva, foi um desses homens notáveis, nomeado alcaide do Castelo de Leiria e vice-rei do condado portucalense e governador de Braga na época de D. Afonso VI de Leão e Castela, viveu em Barbudo no Paço dos Silva (actual Casa da Torre – Rua D. Paio Guterres da Silva).
D. Frei Martins Anes de Barbudo, foi Mestre Geral da Ordem da Cavalaria de Alcântara, no ano de 1349, data em que morreu em combate contra os Mouros de Granada. Viveu no solar do Outeiro dos Poltros. Na sua sepultura lia-se a seguinte inscrição “Aqui jaz aquele que de nenhuma coisa houve pavor em seu coração”.
Gonçalo Pires de Belmir, cavaleiro de boa linhagem, viveu na torre e solar dos Barbudos. Terá sido ele um dos primeiros habitantes de Barbudo tendo casado com a nobre senhora da Quinta de Geige com a qual teve vários filhos que deram origem ao apelido de Barbudo.
Muitos outros ilustres tiveram o seu berço nesta freguesia, com igual prestígio como os acima mencionados, no entanto, não podemos aqui falar de todos, mas não podemos deixar de mencionar um grande homem que ainda está presente na memória e no coração de muitos de nós, Álvaro Machado Vilela, distinto professor catedrático da Universidade de Coimbra, foi Juiz durante 15 anos nos tribunais mistos do Egipto. Exerceu as altas funções de Procurador à Câmara Corporativa, desde a primeira legislatura. Notável escritor publicou diversas obras relacionadas com a sua actividade profissional.
Intimamente ligada à freguesia de Barbudo está a extinta freguesia de Sam Salvador de Parada. No ano de 1433, anexaram-na à freguesia de Barbudo, tendo esta adoptado parte do seu topónimo - Sam Salvador, ficando deste modo S. Salvador de Barbudo. Hoje, os seus moradores continuam a chamar-lhe de Parada e Barbudo, tal como nos seus costumes diários esta antiga divisão ainda está muito presente. Os seus moradores mais velhos, quando vão à missa e uma vez que a Igreja foi construída na linha divisória destas antigas freguesias, ainda têm o hábito de se sentarem de cada lado da igreja, conforme a localização de sua casa. O mesmo acontece com a visita Pascal, esta é percorrida como se de duas freguesias distintas se tratasse, num dia as casas de Parada e no outro as casas de Barbudo. Quis o destino que a antiga Igreja Matriz de S. Salvador de Parada, não desaparecesse com a sua freguesia, ficando-lhe destinada as funções de Capela Mortuária no cemitério de Vila Verde. Até há poucos anos a freguesia de Barbudo conservava o Lugar de Parada, hoje, os Lugares deram origem a ruas, ficando desta forma restrito este topónimo à Rua de Parada, tal como a denominação de Santa Maria de Barbudo.
*Clique nas imagens para ampliar
topo voltar